A Casa de Bernarda Alba de Federico García Lorca

A Casa de Bernarda Alba

de Federico García Lorca

 

A Casa de Bernarda Alba, uma história aparentemente simples, é, no entanto, um autêntico bilro de emoções e mensagens, onde se destacam a violência e a agressividade. Tão humanos que nós somos, tão capazes de tudo.

Uma família fechada, uma sociedade fechada, cheia de padrões. Não vamos aqui discuti-los, mas sabemos que é preciso continuar, tal como Lorca, a analisá-los e, se preciso for, a intervir, usando aquilo de que somos feitos.

Este texto fala-nos de violência, opressão, medo, humilhação e consequente revolta e poesia. Não estamos assim tão longe desta realidade escrita em 1936, ano em que o seu autor foi fuzilado. Continuamos como podemos, apesar de todos os dias nos chegarem notícias de violência e opressão. Continuamos como podemos.

As palavras são pontes. Tudo o que se diz transforma a realidade do artista.

Maria João Luís

 

copyright Rui Carlos Mateus

 

A Casa de Bernarda Alba

de  Federico García Lorca

Tradução   Luiza Neto Jorge

Com  Adriana Moniz, Ana Brandão, Cremilda Gil, Custódia Gallego, Inês Castel-Branco, Diana Costa e Silva, Joana de Carvalho, Maria João Falcão, Maria João Pinho, Lígia Braz, Sandra Lopes

Cenário e Figurínos  Marta Carreiras

Sonoplastia  Razat Laboratory

Música Paco  Peña, Pergolesi

Desenho de Luz  Pedro Domingos

Assistência de Produção  Pamela Pedroso

Direcção de Produção  Isabel Dias Martins

M/12




 


9 respostas a A Casa de Bernarda Alba de Federico García Lorca

  1. João Belo diz:

    Boa Tarde!
    Tomei conhecimento que irão ser postos em prática cursos de formação para formar uma equipa técnica e artística no teatro-cinema de Ponte de Sôr. Dado que sou natural do distrito de Portalegre e estou neste momento a finalizar o meu curso de Produção na Escola Superior de Teatro e Cinema, gostaria de saber para onde deverei enviar o meu Curriculum Vitae, pois trata-se de um projecto muito interessante a nível cultural e consequente descentralização, onde gostaria de participar.

    Aguardo resposta e obrigado pela disponibilidade.

    Melhores Cumprimentos,

    João Belo
    jonibelo@gmail.com

    • teatrodaterra diz:

      Viva João,
      Irão de facto ter início já em Julho, cursos promovidos pelo Teatro da Terra, não exactamente para formar uma equipa técnica e artística, mas de criação com profissionais de diferentes áreas. Iremos colocar aqui no blog toda a informação dos cursos. O CV pode enviar para o nosso e-mail geral: info.teatrodaterra@sapo.pt.
      Um abraço.

  2. Bom dia!

    Dou os meus parabéns a este novo Centro de Criação Artística! Acho óptimo estas iniciativas chegarem a todos os pontos do país e acredito que, a partir daqui, o Alentejo terá outra intervenção artística e cultural.

    Também eu sou uma amante de teatro e quem sabe se, no futuro, haverá oportunidade de pisar o vosso palco!

    Os meus maiores desejos de realização!

    Cumprimentos.

  3. Joana Dias diz:

    Parabéns pela iniciativa…
    Faço parte de um grupo de teatro amador que também levou a palco “A Casa de Bernarda Alba”. (acasadebernardaalba.blogspot.com)
    Gostaria de saber mais informações sobre futuras apresentações da peça.
    Vão fazer uma digressão pelo país?
    Obrigada
    Joana Dias

    • teatrodaterra diz:

      Viva Joana,
      O blog terá toda a informação relativa a esta produção, com datas de digressão e demais informações úteis.
      Um abraço.

  4. Carol diz:

    As actuações da “Casa de Bernarda Alba” já acabaram? Vão fazer tourné? Quando e Onde?

    Precisava de mais informação… para saber onde posso ver esta peça pelo Teatro da Terra…

    Obrigada

    • teatrodaterra diz:

      Viva Carol,
      Sim as actuações no Cine-Teatro de Ponte de Sor terminaram, agora iremos star em digressão pelo país. As datas serão aqui divulgadas e serão actualizadas.
      Um abraço.

  5. gorete carvalho diz:

    Fui ontem,com uma amiga, assistir à “Casa de Bernarda Alba” no Meridional e quero apenas dizer que ,gostei muito!
    É um texto duro,agressivo,mas excelentemente representando.Gostei do realismo e da aparente simplicidade e naturalidade com que todos trabalharam.PARABÉNS!

Os comentários estão fechados.