CAL de José Luís Peixoto

Cal

de José Luís Peixoto

 

O Teatro da Terra, apoiando-se no universo singular de José Luís Peixoto, constroí um espectáculo onde o imaginário corresponde ao local onde esta estrutura se decidiu fixar.


Nesta segunda produção o Teatro da Terra mergulhou nos sons, cheiros, silêncios e nos diversos mundos interiores do Alto Alentejo, sob a direcção de três criadores (Maria João Luís, Gonçalo Amorim e Gonçalo Luz) toda uma equipa de criativos e colaboradores se juntou num processo que pretende cruzar o universo contemplativo do filme com a crueza da cena.


CAL percorre três contos de José Luís Peixoto extraidos do livro homónimo (A velha Carlota, A idade das mãos, O homem que está sentado à porta), escolhidos pela sua placidez aparente, carregada de uma tensão provocada pela espera, uma espera que também é a da morte, da tomada de consciência n’A velha Carlota: “-Eu já não presto para nada.” e sua possibilidade redentora: “-Não diga isso, … a gente gostamos muito de si.”

Pelo rejuvenescimento provocado pelo amor, e pela aceitação tranquila de que é tempo de deixar ir o corpo em A idade das mãos. Pela incredulidade de que alguém alguma vez se poderia lembrar desta gente em O homem que está sentado à porta, onde a literatura e a arte aparecem como um caminho possível para aproximar as pessoas.

Cal

de José Luís Peixoto (a partir do livro homónimo)

com Maria João Luís e Gonçalo Amorim

Vídeo Gonçalo Luz

Música Baltazar Gallego com interpretação de Janita Salomé e Orquestra de Harmónicas de Ponte de Sor

Desenho de Luz Pedro Domingos

Participação Especial  Leandro Durico, Luís Madureira e Margarida Delgadinho

Produção: Teatro da Terra

M/12

Informações

De 18 a 29 de Novembro

Quarta a Sábado 21h30

Domingo  17h00

Teatro Cinema de Ponte de Sor


Uma resposta a CAL de José Luís Peixoto

  1. Pingback: Cal | margazine

Os comentários estão fechados.